Quando um conto encontra outro

Em voz alta, leia o mais rápido que puder e, sem pegar fôlego, assobie ao final:

“Hoje é domingo
Canta o pintassilgo
Pintassilgo é dourado
Não tem sela nem cavalo
É uma burrinha cega
Que vai daqui a Castela
De Castela a castelão
Minha avó me deu pão
Pra mim e pro meu cão
Meu cão não está aqui
Está debaixo do navio
Dá-lhe vento, dá-lhe frio
Ele toca o assobio”

E então? Conseguiu?

Continuar lendo

Anúncios

As vantagens invisíveis de ser você mesmo

Suicídio.

Uma palavra temida e preocupante apenas por ela mesma.

Se na vida real traz sofrimento em tantos sentidos, na ficção é um recurso – e dos bons – para os autores. Que o diga Jasmine Warga em seu romance de estreia, Meu coração & outros buracos negros.

vantagens

A autora norte-americana foi além da utilização do tema como costumeiro ponto de partida ou de encerramento ao transformá-lo em fio condutor e quase um personagem em sua história. Nela, a jovem e problemática Aysel não aguenta a própria existência e não consegue se comunicar nem consigo mesma.

Continuar lendo

As várias possibilidades do medo

Um susto. Ou aquele calafrio gelado, que arrepia até a alma. Quem sabe, o horror que se cola às nossas vísceras, nos deixa mais irracionais do que já somos, injeta adrenalina em altíssima potência.

Somente em momentos assim, em que a própria sobrevivência está ameaçada, as pessoas revelam o melhor e o pior de si. Quando conhecemos de verdade heróis e vilões.

Claro que não seria diferente na ficção. Matéria-prima básica para toda e qualquer trama, o medo é um daqueles elementos indispensáveis que nenhum escritor, roteirista ou contador de histórias pode correr o risco de menosprezar.

Continuar lendo